HOME
VELHO AÇA
NOVO AÇA
MUSICOS ZECA FILES RESENHAS RIO ART ROCK BLOG DOWNLOADS BANNERS STOLEN CONTATO MEMORABILIA ENGLISH














Guerra Civil - 1981
Fim do Mundo (1983)
Piolho (1985)
Em Caso de Acidente... Quebre Este Disco!
                          (1989)
Gloomland (1994)
Farawayers (1996)
Em Caso de Acidente... Quebre Este Disco
                          (relançado em 2000)
Technolorgy (2002)
Pega Varetas (Meu Pau de Sebo) (2003)
Não Pode Ser Vendido Separadamente
                          (2007)
ROCK (2011)
Ainda (2012) Ninguem Pediu (2014) Technolorgy (2002) (Relançado em 2014)
ACIDENTE a banda de Rock independente com 14
              produções (1978 / 2014)
ROCK! Ninguém Pediu
Apresentação   -   Músicas+Slideshows   -   Creditos   -   Encarte
AINDA 2012
Ainda - foto de Paulo MaláriaFoto: Paulo Malária



Apresentação
Cinco anos após seu último lançamento, o Acidente retorna com este novo CD, “Ainda”. A banda ressurge em 2012 como um trio formado por Zunga Ezzaet, Paulo Malária e Helio “Scubi” Jenné. Tal qual há bastante tempo, não se espere apresentações ao vivo exceto em ocasiões muito especiais, as quais nunca acontecem...
Zunga
                                            EzzaetO fator chave na história de “Ainda” foi a volta do guitarrista Zunga Ezzaet a Nilópolis, onde montou seu estúdio caseiro e se consolidou como um músico completo, tocando também baixo, alguns teclados, programando bateria, gravando e mixando. Sem Zunga, “Ainda” não teria saído, pelo menos não do jeito que é - e se ele o tivesse gravado sozinho o resultado não seria muito diferente do que temos aqui.
Zunga participou da fase instrumental do Acidente entre 1989 e 1995, gravando 3 albuns: “Quebre Este Disco”, “Gloomland” e “Farawayers”. Participaram desses discos o tecladista e produtor Paulo Malária, os baixistas Jarbas Loop e Ary Menezes e os bateristas Bruno Mega e Mario Costa. Mudou-se Zunga então para a Argentina e depois se radicou em Criciúma, retornando em 2008.
Neste ínterim, o Acidente gravou na forma de trio o suplemento “Expo Rock 2000”, inserido a título de bonus no relançamento de “Quebre Este Disco” como CD, ganhando logo após a adesão de um novo guitarrista, o também excelente Renato Borges. Com ele, o quarteto fez “Technolorgy”, lançado mundialmente em 2002. O horizonte afigurava-se promissor, tanto que no ano seguinte o Aça, reforçado pela volta do vocalista e co-fundador Helio ‘Scubi’ Jenné, se permitiu perpetrar um disco de rock básico sob o alter ego Pega Varetas.
Paulo MaláriaEste CD chamou-se “Mêu Páu de Sêbo”. Ali era lançada uma inédita “franquia de banda” que revolucionaria o rock! Contudo nada mais aconteceu, nem com o Aça instrumental nem com o Pega. Em 2007, no intuito declarado de manter atuante o nome Acidente a fim de não perder a marca, Malária produziu o CD “Não Pode Ser Vendido Separadamente”, com as participações de Scubi, Ary, Paulinha e do guitarrista Ringo Morais, dono do estúdio. O disco trazia na capa um aviso honesto: “Progheads – Warning: No prog at all”, descartando qualquer semelhança com os álbuns instrumentais.
De fato ninguém foi logrado, mas tampouco o CD atingiu além de sua intenção básica (manter o nome vivo). Talvez pela excessiva variedade de estilos, afora algumas faixas iconoclastas, “Não Pode...” nada pôde. Pior ainda: ao apagar das luzes, u’a insólita irrupção de ódio contra o produtor e sua namorada sepultou qualquer possibilidade de que o local voltasse a ser utilizado.
Acidente continuou assim um nome à deriva, esperando por um evento que o trouxesse de volta à vida. Em 2008, Mala, Ary e Mario chegaram a se encontrar para algumas sessões, porém a retomada não seguiu seu curso. Foi então que Jad Maroja, cantor e mentor da banda pop Estado Interessante, avisou a Malária que Zunga tinha voltado
e montado um estúdio. Obviamente o primeiro álbum da Stolen Records ali produzido foi o segundo disco do Estado, chamado “16”
e lançado em 2010 (Stolen 5). O resultado agradou e começaram as
tratativas para o novo trabalho do Acidente.
Helio Jenné e Raul BrancoFicou decidido que não seria um disco inteiramente instrumental como alguns antecessores, mesclando temas com voz. Um híbrido, portanto, porém mais direcionado para uma sonoridade hard com remissões aos anos 70/80; e sério, carrancudo, sem os chistes jocosos malarianos que podem ter queimado o filme de produções anteriores. Em suas 17 faixas, “Ainda” apresenta 7 temas instrumentais: 4 5 de Zunga Ezzaet, 1 de Paulo Malária e 1 de Rodrigo Araujo, programador visual de obras anteriores da banda. As 10 restantes têm vocais, sendo 7 de Mala, 2 de Helio “Scubi” Jenné em parceria com Raul Branco, os três co-fundadores do Acidente em 1978, e 1 de Zunga com letra de Roger Ramos, poeta punk que participou do grupo The Lírios, o qual em 1987 foi a ponte para o Estado Interessante e também o Aça instrumental. Fecha-se assim auspiciosamente um círculo de apresentações!
Os independentes mudaram muito seu ponto de vista desde os ingênuos anos 80. Hoje sabemos estar compondo e gravando música que não terá respaldo da midia quando o disco for lançado. Mas depois, um dia, quem sabe? Mesmo que não cheguemos a ver esse dia. O futuro não é para todos - aliás, numa visão ampla, o futuro exclui por completo os participantes deste presente remoto. Para constatar essa realidade inexorável basta pensar nos do passado. Mas discos têm validade indeterminada.

AINDA is the ACIDENTE's newest album


Another Day, foto de Paulo Malária
Another Day


Rio de Janeiro, foto de Paulo Malária
Rio de Janeiro


Miaó, foto de Paulo Malária
Miaó-Inky



Acidente at Last-FM Acidente no YouTube Acidente no Facebook Baixe todos os álbuns do ACIDENTE!
Acidente at MySpace Acidente no Palco MP3 Acidente
                        no LyricsMode
Baixe todos od álbuns zipados

BUSQUE NA INTERNET
 
 only search ACIDENTE site
[ Yahoo! ] options
Site por: Helio Jenné
© 1997/2016













































Músicas + Slideshows

(Clique para ouvir as músicas, ler as letras e ver os Slideshows)


1 - 6 6 11 (SIX SIX ELEVEN) 4’42” 
     (Zunga Ezzaet) BR-PIZ-12-00001

2 - NAVIDALOUCA 4’4” 
     (Helio ‘Scubi’ Jenné - Raul Branco) BR-PIZ-12-00002

3 - TRILHOS, DORMENTES E HOMENS 5’44” 
     (Zunga Ezzaet - Roger Ramos) BR-PIZ-12-00003

4 - 1987 3’54” 
     (Zunga Ezzaet) BR-PIZ-12-00004

5 - ELSEWHERE 9’36” 
     (Paulo Malária) BR-PIZ-12-00005

6 - A NOVA ONDA 3’38” 
     (Paulo Malária) BR-PIZ-12-00006

7 - LET’S PLAY 4’4” 
     (Zunga Ezzaet) BR-PIZ-12-00007

8 - SÓ EU SEI 3’27” 
     (Paulo Malária) BR-PIZ-12-00008

9 - 7 QUEDAS 3’32” 
     (Paulo Malária) BR-PIZ-12-00009

10 - GRAVIDADE 5’22” 
      (Rodrigo Araujo) BR-PIZ-12-00010

11 - O TRONCO 3’27” 
      (Paulo Malária) BR-PIZ-12-00011

12 - RUAS TORTURANTES 4’4” 
      (Helio ‘Scubi’ Jenné - Raul Branco) BR-PIZ-12-00012

13 - MALA DE INFLUÊNCIA 6’7” 
      (Zunga Ezzaet) BR-PIZ-12-00013

14 - RESINSTANT 1’7” 
      (Paulo Malária) BR-PIZ-12-00014

15 - TREVAS 5’51” 
      (Paulo Malária) BR-PIZ-12-00015

16 - VENHAM CÁ 3’20” 
      Paulo Malária) BR-PIZ-12-00016

17 - THE END 59” 
      (Zunga Ezzaet) BR-PIZ-17-00017



Mosaico pg 11 do folheto













































Créditos

ACIDENTE ® - AINDA

ZUNGA EZZAET - guitarras (todas as faixas), baixo (exceto faixa 12), programação da bateria (
todas as faixas), teclados (faixas 1, 4, 13, 17), vocais principais (3, 9) e vocais de apoio.

PAULO MALÁRIA - teclados (todas as faixas), 
vocais principais (5, 8, 11, 16) e vocais de apoio.
 
HELIO ‘SCUBI’ JENNÉ - 
vocais principais (faixas 2, 6, 8, 12) 
e vocais de apoio.
 
RAUL BRANCO - baixo na faixa 12


Gravado e mixado por ZUNGA EZZAET no Estudio Pico do Ezzaet - Nilópolis de 29 de março de 2011 a 28 de 
março de 2012.
Masterização por EVERSON DIAS no Eversongs Studio - Itanhangá
 
Design por HELIO ‘SCUBI’ JENNÉ
 
Notas de capa por Fakey Random
 
Fotos por Quem as tirou.
 

Produzido por PAULO MALÁRIA para a STOLEN RECORDS (a Fake Enterprise)
 
Produtor Executivo - Paulo Izecksohn
Acidente ®, Paulo Malária ® e Stolen Records ® Marcas Registradas odos os direitos fonográficos reservados pelo produtor. Todos os direitos de publicação pertencem aos compositores. Vedada quaisquer reproduções sem permissão, etc.

Agradecimentos ao Marcelo Spindola Bacha (
 www.editioprinceps.compela barra de código e ao Rodrigo Araujo pela imagem.

Acidente
 ® has no representatives or agents anywhere, by the time of this release. 
All contacts direct to the production. Acidente ® plays no live acts except in very rare special occasions (complete: “that never happens at all”).


ACIDENTE - CP 56037 - RIO, RJ - 22290-970 - REP. OF BRAZIL
paulomalaria@acidente.ac
zungaezzaet@hotmail.com
helio.jenne@gmail.com
stolenrecords@acidente.ac


Ainda Rótulo













































Encarte

Pgs 1
e 12
Folheto pgs 12-1

Pgs 2
e 3
folheto pgs 2 e 3

Pg 4
e 5
folheto pgs 4 e 5

Pgs 6
e 7
folheto pgs 6 e 7

Pgs 8
e 9
folheto pgs 8 e 9


Pgs 10
e 11
Folheto pgs 10 e 11


PARA BAIXAR O FOLHETO ZIPADO
CLIQUE AQUI


topo
Topo

gif





6 6 11 (SIX SIX ELEVEN)

Zunga Ezzaet

Instrumental
 
top
Topo














































NAVIDALOUCA
Helio 'Scubi' Jenné / Raul Branco


Na loucura queimamos
Nós queimamos mil vidas
E eu ainda seguro as minhas cinzas
enquanto vejo sua face nas paredes

Estou muito abatido

Pois vejo o verão pasar tristemente
Na janela acenando pra mim
Na janela acenando pra mim

E na loucura você queimou

Você queimou sua cabeça
Enquanto bailávamos descompassados
Ao som da madrugada
que custava a arder
Ao som da madrugada
que custava a arder

E na loucura esquecemos

Nós esquecemos mil alegrias
E eu ainda seguro as minhas cinzas
Ao som da madrugada
que custava a arder


top Topo















































TRILHOS, DORMENTES E HOMENS
Zunga Ezzaet / Roger Ramos


O sol dilatava
Os trilhos no infinito
Homens, ferramentas
Suspiravam aquecidos

Um trem veloz

Abafando seus sorrisos
Levando o minério
Levando o minério
Levando o minério
Levando o minério.

Ferrovias penetrando em montanhas

Arrastando quantidades de feridas
Quantas cavernas ainda faltam
Para alimentar os sanguessugas

Quantos servos ainda restam

Sem contar os aleijados
Do tal TNT

Buscam todos

Não é hora de almoço
Buscam todos
Tá na hora do almoço

Jamais esqueceremos

Do lugar em que vivemos
De todas as nuvens cinzentas
Escurecem vedando nossas narinas
Escurecem vedando nossas narinas

Precipitando, precipitando

Precipitando o dia em que chegaremos
Ao seu encontro
Por mais uma vez

E por uma grande experiência

Saberemos
Conduzir novos cultivos
Ao seu lugar
Que a minoria
Sempre desejou


top
Topo

















































1987

Zunga Ezzaet

Instrumental
 
top  Topo

















































ELSEWHERE
Paulo Malária


Yesterday I dreamt I was escaping from this cage
My days ahead would be so bright, my life I’d rearrange
But waking up I realized it all remains the same
Cos’every nightmare can be real but dreams are hard to tame

I’ll find a place

Elsewhere but here
Where I can live
Far from the fear

Life can lead you into places where you’ll feel so strange

Yet nothing should seem so weird as this fate I cannot change
Years roll and pass by just before my angry mind
And every day brings more of what I wish I’d left behind

Elsewhere there is

A place so fair
That in my dreams
I’m always there

Now my body is weakening, ageing charges a toll so high

I know I’ll never do most things I haven’t done so far
My hair got gray, my sight is turning dark, all movements ache
Still down this land my bones won’t rest, this promise I must take

I’ll reach a place

Where I’ll feel well
To end my days
Far from this hell


top
Topo


















































A NOVA ONDA
Paulo Malária


(I)
Ondas que quebram na areia
Brilho que vem do sol
Quando o dia raiar
Todos vão se encontrar
Nessa estrada
Em que eu ando
Sempre em frente
Sem poder voltar

Como será a nova onda?
Quando me alcançará?

Numa trilha sem fim
Gente boa e ruim
Sempre à espera
Da mudança
Que asseguram
Um dia acontecerá

Tempos sem glória
Olhos no além
Nem sei pra que
Ficar aqui
Deixando-me crer
No que não vem

(II)
Pelos campos, matas e canais
Corre a vida que você não vê
E um dia vai chegar
Que vão se levantar
E as estruturas destruirão
Tarde demais

Quando a chama em mim se apagar
Nada do que venha importará
Já tanto tempo faz
Não acredito mais
Sei que amanhã virão outros dias
Todos iguais


top
Topo

















































LET'S PLAY

Zunga Ezzaet

Instrumental

topo Topo
















































SÓ EU SEI
Paulo Malária


Só os travesseiros sabem nossos sonhos
Só as nuvens sabem o que vai pelo ar
Só eu sei o que é tentar
Sem nada realizar
Pensamentos livres a voar na noite
Pela madrugada quem os impedirá
Lá sim
Tenho o que sonhei
Tudo e mais posso alcançar
Sou feliz
Vivo onde sempre quis
Tempo e lugar
Sempre mais
A ilusão me satisfaz
Nada faltará
Nasce mais um dia e eu vou à luta
Esperando o sol se por e a noite chegar
Outra vez
Que surpresas essa vez
Me reservará
Torne os seus sonhos em realidade
Ou eternamente eles irão lhe assombrar


topo
Topo

















































7 QUEDAS
Paulo Malária


No horizonte de um novo dia
Eu olho em volta e não vejo você
Mentes sem alma
Retratos de um país banal
Com cálculos e cheques
Decretaram seu final

Onde for

Levarei o seu olhar
7 Quedas
7 Quedas
Tua imagem
Vai sempre me acompanhar

E eu sonho com um outro tempo

Em que o progresso nào nos possa matar
Tantas lembranças
Que você deixou no ar
Não podem esperar um só momento

E as águas vão rolar

Por tuas corredeiras rumo ao mar
E até esse dia chegar

Onde for

Levarei o seu olhar
7 Quedas, 7 Quedas
7 Saltos de Guayrá
7 Quedas, 7 Quedas
7 Quedas viverá


top  Topo

















































GRAVIDADE

Zunga Ezzaet

Instrumental
 
top
Topo
















































O TRONCO
Paulo Malária


Dorme um sono bom, um sono tranquilo
O mundo nos confunde ao apresentar
Mais coisas do que eu posso compreender
Histórias que não dá pra acreditar
Mas algo nisso tudo é consistente:
Se eu não trabalhar não vou comer
Por isso é necessário repousar
E acordar pra o tronco nos moer

O tronco

Ralou minha juventude
Escamou a minha alma
Fez de mim o que hoje eu sou

Um dia

Quando o tronco for passado
Eu vou estar muito cansado
Então dorme, por favor

Dorme um sono bom, um sono tranquilo

O mundo nos confunde ao apresentar
Mais coisas do que eu posso compreender
Histórias que não dá pra acreditar

(solo)


O tronco

Regulamenta meu dia
Torna a noite uma alegria
Dá um mês pra se esquecer
Que o resto
Dos anos é a vida passando
E a gente edificando
Um futuro que não vai viver

O tronco

Esmagou o que eu sonhava
Esfolou minha esperança
Me levou até onde estou
No fim
Quando o jogo tiver acabado
Estaremos arrasados
Então dorme...
Dorme...
Dorme que o sol já raiou!


top
Topo

















































RUAS TORTURANTES
Helio Jenné e Raul Branco


Se eu toco a guitarra
Ou se canto esta canção tão alto (alto)
É que eu quero que me escutem
E me ajudem a encontrar
Meu tempo, em tempo

Nessas ruas torturantes

Povoadas por mutantes tão lúcidos (estúpidos)

Nesse mundo tão bonito

O meu coração aflito
Já não sabe procurar
O tempo perdido

Quem não sabe o que se passa

Nessa selva de cabeças
É melhor deixar as ruas
E se suicidar... há tempo

Nessas ruas torturantes

Pelas ruas torturantes...

O universo está expandindo

O meu verso acabando
Vamos logo, aproveitem

Antes que esse tempo acabe
Antes que esse tempo acabe
Antes que esse tempo acabe
Antes que esse tempo acabe


top Topo

















































MALA DE INFLUÊNCIA
Zunga Ezzaet

Instrumental
 
top Topo
















































RESINSTANT

Paulo Malária

Instrumental
 
top
Topo















































TREVAS
Paulo Malária

 
A noite se abate sobre nós
E as luzes já nao se deixam ver
A terra dorme um sono pesado de mil estrelas
Mas não existe paz pra quem não achou seu lugar

Seus olhos não podem entender

As trevas, a imensa escuridão
Entre a neblina, a lua ilumina o chão da estrada
E aonde leva a estrada, isso ninguém sabe
Onde vai chegar

No meio do caminho

Pra lugar nenhum
A ida não tem volta
Há um horizonte
Em cada um de nós
Que procura no que acreditar

Faz frio e o sol não quer voltar

O medo congela os corações
O que você pensou quando viu sinais na noite?
Será que percebeu que era só o início
De uma longa viagem?

No meio do caminho

Pra lugar nenhum
A ida não tem volta
Há um horizonte
Em cada um de nós
Em cada um de nós


top
Topo


















































VENHAM CÁ
Paulo Malária

 
Venham cá
Tragam fotógrafos e flashes
Eu vou fazer uma confissão, mas notem bem
Eu não sofri qualquer espécie de coação

Podem vir

Tragam repórteres de fora do país
E um gravador pra registrar minha canção
De confiança, otimismo e exaltação

Hoje eu resolvi

Me regenerar
Eu vou largar o crime, eu juro: eu não vou mais criticar

Todo o meu passado

Vai se apagar
Eu vou plantar galinha e criar repolho em alto mar

Hoje eu resolvi

Me regenerar
Eu vou largar o crime, eu juro: eu não vou mais criticar

Todo o meu passado

Vai se apagar
Eu vou plantar galinha e criar repolho em alto mar
Eu vou dar um passeio de avião em alto mar
Eu vou virar comida de tubarão em alto mar


top
Topo

















































THE END

Zunga Ezzaet

Instrumental

 
top
Topo